PROYECTO CAPITAL HONDURAS - Fundación Capital
20325
page-template-default,page,page-id-20325,page-child,parent-pageid-20148,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-13.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

PROYECTO CAPITAL HONDURAS

Desde 2014, acompanhamos e damos aconselhamento ao Governo de Honduras em seus esforços para promover a inclusão financeira de participantes do programa de transferências condicionadas de renda “Bono Vida Mejor”. Para alcançar essa meta, colocamos nossa experiência e o conhecimento regional adquirido pela implementação do Proyecto Capital na América Latina e no Caribe a serviço do Governo de Honduras.

Até hoje, e graças aos recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (Inter-American Development Bank) e a Secretaria de Integração Social (Secretariat of Social Integration Honduras), fizemos importantes progressos:

Realizamos diferentes avaliações da população-alvo, o que ajudou no desenvolvimento de um projeto adaptado a suas necessidades. Demos aconselhamento ao Banco Nacional e à Comissão de Seguros, de forma que o documento de política pública “Estratégia Nacional de Inclusão Financeira – ENIF” incorporasse metas relativas a segmentos altamente vulneráveis, como a população receptora de subsídios do governo. Os mecanismos de pagamento no país sofreram uma evolução notável: antes, todos os pagamentos de TCRs eram feitos em dinheiro vivo e agora um terço deles é depositado diretamente em contas poupança. Isso significa que hoje mais de 41.000 participantes do programa possuem um serviço financeiro seguro, confortável e confiável.

Duas de nossas metodologias para desenvolver capacidades financeiras foram adaptadas ao contexto do país, uma digital (LISTA) e uma presencial (baseada em aprendizagem por pares), com as quais mais de 4.000 participantes do programa foram treinados.

 

Além disso, a avaliação dos resultados da fase piloto mostra importantes avanços no uso das contas:
a) Cerca de 30.000 participantes depositaram uma média de US$11,4 em suas contas durante 6 meses.
b) Foram registradas mudanças em nível de conhecimento, comportamento e atitudes dos participantes em relação ao sistema financeiro, impulsionando poupanças formais e informais, a gestão dos orçamentos domésticos e a criação de novos empreendimentos.

 

Datas importantes:

  • Dezembro de 2014: assinatura de um acordo de cooperação com a Presidência de Honduras.
  • Março de 2015: avaliação de necessidades.
  • De fevereiro a junho de 2015: abertura de 34.000 contas poupança simplificadas.
  • Agosto de 2015: caracterização de usuários do Bono Vida Mejor (agosto de 2015).
  • De abril a outubro de 2015: projeto piloto de educação presencial e digital.
  • Outubro de 2015: lançamento da Estratégia de Inclusão Financeira Nacional para 2015-2020.
  • De abril a outubro de 2016. Adaptação da LISTA ao contexto do país.
  • De fevereiro a maio de 2016: apoio a licitações de pagamentos de TCR.
  • Dezembro de 2016: abertura de mais de 7.000 contas poupança simplificadas.
  • Fevereiro de 2017: avaliação de atendimento ao cliente.

 

População-alvo: Mulheres, população rural, população urbana, pessoas em situação de extrema pobreza, receptores de TCRs.

 

Metodologia:

  • Cooperação técnica e aconselhamento ao governo de Honduras para a integração de tópicos de inclusão financeira em políticas públicas nacionais.
  • Assistência técnica, avaliação e acompanhamento da implementação de uma estratégia de inclusão financeira que beneficie os participantes do programa de transferências condicionadas de renda “Bono Vida Mejor”.
  • Apoio técnico para a concepção e implementação do projeto.
  • Adaptação de metodologias de educação financeira: aprendizagem por pares (presencial) e iniciativa LISTA (rodízio de tablets na comunidade).

Resultados:

  • Um terço dos pagamentos do “Bono Vida Mejor” são atualmente depositados em contas poupança, o que implica em mais transparência nós pagamentos, menos custos, mais segurança para o Governo e mais conforto para os usuários.
  • Mais de 41.000 contas poupança foram abertas para participantes do BVM em 44 municípios em 16 departamentos do país.
  • Cerca de 30.000 participantes conseguiram poupar em média US$ 11,4 nos 6 primeiros meses de abertura das contas.
  • 4.381 participantes do programa Bono Vida Mejor desenvolveram suas capacidades financeiras em 13 municípios do país.
  • A avaliação de resultados mostraram impactos positivos no conhecimento, comportamentos e atitudes dos participantes: 81% das pessoas atualmente fazem orçamento doméstico (em comparação com anteriores 42%); 78% das pessoas declaram que sabem o que é uma instituição financeira (em comparação com anteriores 28%); 47% dos participantes atualmente poupam em dinheiro (em comparação com anteriores 7%); 50% declaram que usariam suas poupanças para enfrentar uma emergência, em vez de solicitar um empréstimo de terceiros (em comparação com anteriores 10%) e 88% atualmente confiam em uma instituição financeira para poupar suas economias.
  • A iniciativa LISTA foi adaptada ao contexto hondurenho, para expandir a cobertura de educação financeira de uma maneira massiva e eficiente em termos de custos.

 

Parceiros-chave: Presidencia de la República de Honduras, Subsecretaría de Inclusión Social- SSIS, Comisión Nacional de Bancos y Seguros CNBS, Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.

 

Projetos relacionados: Proyecto Capital, LISTA.